Ir al contenido principal

Entradas

Mostrando entradas de 2019

Viseu y Ramiro II de León.

Hace unos dias pasé por Huesca, visité San Pedro el Viejo y la catedral, recordando la leyenda de la campana y Ramiro II "el monje". Hoy ha caido en mi pantalla esta leyenda sobre Ramiro II de León y la ciudad de Viseu, patria de mi amiga Catarina Rocha y su "Viseu senhora da Beira". Esto debe ser un especie de enlace neuronal....una cosa lleva a la otra. El artículo está extraido del blog https://ruilyra.blogspot.com , mi agradecimiento.





 Viseu "D. Ramiro II, Rei das Astúrias e de Leão, que reinou desde o anno de Christo de 931 até o de 950, n'uma excurção que fez de Vizeu, onde então residia, por terras de moiros, viu e enamorou-se da famosa Zahara, irmã de Alboazar, rei moiro, ou alcaide do castello de Gaia sobre o rio Douro. Recolheu-se D. Ramiro a Vizeu com o coração tão captivo, e a razão tão perdida, que sem respeito aos laços, que o uniam a sua esposa D. Urraca, ou como outros lhe chamam D. Gaia, premeditou e executou o rapto de Zahara. Enquanto o…

Daniela Giblott - Lágrima- Otra más para la colección.

Mª do Rosario Pedreira, poetisa.

Conozco la obra de Mª do Rosario a través de la voz de Aldina Duarte que la acerca al público, pero es en la lectura de sus poemas donde se puede gozar de la fuerza de sus sentimientos.




Vem ver-me antes que eu morra de amor — o sangue arrefece dentro do meu corpo e as rosas desbotam nas minhas mãos. Da minha cama ouço a tempestade nos continentes; e já quis partir, deixar que o vento levasse a minha mala por aí; fiz planos de correr mundo para te esquecer — mas nunca abria a porta.
Vem ver-me enquanto não morro, mas vem de noite — a luz sublinha a agonia de um rosto e quero que me recordes como eu podia ter sido. Da minha cama vejo o sol tatuar as costas do meu país; e já sonhei que o perseguia, que desenhava o teu nome no veludo da areia e sentia a vida pulsar nessa palavra como um músculo tenso escondido sob a pele — mas depois acordava e não ia.
Vem ver-me antes que morra, mas vem depressa — os livros resvalam-me do colo e o bolor avança sobre a roupa. Da minha cama sinto o perfume das folhas tomba…