domingo, febrero 06, 2011

DEOLINDA : NO ES TAN PARVA COMO DICE SER

 Ana Bacalhau me sigue sorprendiendo. Este "Parva que eu sou" tiene una letra deliciosa y
como el sonido es bastante malo en todas las grabaciones de este concierto en el tube, os dejo el texto original.

Sou da geração sem remuneração
e não me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!
Porque isto está mal e vai continuar,
já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.
Sou da geração 'casinha dos pais',
se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou!
Filhos, marido, estou sempre a adiar
e ainda me falta o carro pagar,
Que parva que eu sou!
E fico a pensar
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.
Sou da geração 'vou queixar-me pra quê?'
Há alguém bem pior do que eu na TV.
Que parva que eu sou!
Sou da geração 'eu já não posso mais!'
que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!
E fico a pensar,
que mundo tão parvo
onde para ser escravo é preciso estudar.

Under Creative Commons License:

1 comentario:

Anónimo dijo...

Tuve la suerte de disfrutar el concierto de "Deolinda" en el Coliseu de Lisboa el 29 de enero de 2011. Fue magnífico. En directo son todo un espectáculo, con una proyección muy interesante y varios músicos invitados. Y fue muy emocionante oír esta canción con todo el público cantando a la vez que ellos. Os lo recomiendo. Un abrazo fadista. Rosario Solano.